Inclusão Social numa visão Liberal

Publicado em 26 de fevereiro de 2018 | Por Alexis Fonteyne

O próximo governo do Brasil será com certeza um conservador liberal.

Os liberais têm uma tendência natural de achar que o mercado regula tudo, quanto menos governo, melhor, deixa a coisa acontecer, “laissez faire” . Ok, eu também concordo, se tivesse saindo todo mundo da estaca zero em igualdade de condições.

Esta não é a realidade Brasileira, não podemos ignorar a desigualdade histórica ao acesso às oportunidades.

Então como nós liberais conservadores iremos fazer a real e sustentável Inclusão Social e assim eliminar a pobreza e diminuir a “Desigualdade Social”? (tão usada e propagada pela esquerda)

A Inclusão Social Liberal passa por dois pontos, Capacitação Profissional e Ambiente Empreendedor ou para ficar mais claro, “ensinar a pescar e ter condições de pescar no rio com peixes”.

A capacitação profissional passa pela educação fundamental de qualidade, educação profissionalizante, saúde e segurança, ou seja emancipar as pessoas com conhecimento, auto estima, senso crítico e visão empreendedora, em suma, ensinar a pescar.

O Ambiente Empreendedor é o complemento do “ensinar a pescar” pois de nada adianta você saber pescar se o Governo quer regular o tamanho do anzol, o tipo de minhoca, a cor da linha, o horário de pesca, a cota de pesca por cor de pele, tira 40% dos teus peixes por mês, etc, etc.

Ambiente empreendedor significa um ambiente bom para desenvolver o teu negócio o teu trabalho, menos Estado regulando tudo, deixando você trabalhar na sua plena capacidade, desenvolvendo toda a sua criatividade.

Quando nós sabemos pescar e não tem ninguém para atrapalhar, nós brasileiros pescamos muito!!

Leia mais!

Impactos Setoriais com a Reforma Tributária

A CCIF fez uma nota técnica em que apresenta projeções dos impactos macroeconômicos, setoriais e distributivos que a reforma tributária gerará na economia. O trabalho constrói um modelo que possui 86.628 equações e 95.205 variáveis, para simular alguns cenários com a reforma tributária. 

Leia mais »

O real desvalorizou mais do que o peso argentino

O real é a moeda que mais se desvalorizou em 2020. Até outubro de 2020, o real já havia perdido cerca de 30% do seu valor em relação ao final de dezembro de 2019. É claro que a pandemia influenciou nesta desvalorização, no entanto, nenhum país teve a moeda tão depreciada como a nossa, isso expôs diversas fragilidades na nossa economia e formas equivocadas que lidamos com crises.

Leia mais »

Acompanhe e Compartilhe!

Me siga nas redes sociais.

Fique por dentro!

Cadastre-se para receber notícias e novidades do meu mandato.

Faça sua doação

Conheça o #AGENTEqueFAZ, nosso programa de voluntariado para distribuição de cestas básicas .