Alexis Fonteyne recebe o prêmio Melhores do Orçamento na categoria Saneamento Básico

Desde o início do mandato, o deputado federal Alexis Fonteyne (NOVO-SP) tem priorizado a destinação de recursos de emendas parlamentares para saneamento básico. Seu empenho nessa causa foi reconhecido pelo INOP (Instituto Nacional de Orçamento Público), que entregou ao parlamentar, no dia 13 de maio, o prêmio Melhores do Orçamento, por ter sido o parlamentar que mais destinou emendas para Saneamento Básico no Orçamento Geral da União de 2021.

Ao receber o prêmio, o deputado agradeceu e explicou que “o investimento em saneamento básico é uma forma de conseguir melhorar um problema estrutural e de atacar as causas dos problemas de saúde pública no Brasil.”

A importância que o parlamentar atribui a causa tem razão de ser. O Brasil ainda precisa de muito investimento na área para aumentar a cobertura de saneamento básico no país, por isso, no Gabinete 845 é realizado processo seletivo para escolha da destinação das emendas parlamentares, com base em critérios técnicos para atender as necessidades da população da melhor forma possível.

A falta de saneamento básico influencia diretamente no senso de dignidade das pessoas e na saúde das famílias, além de causar mortes e doenças evitáveis. Nesse período da pandemia, o problema da falta de saneamento básico no Brasil ficou ainda mais evidente. Infelizmente, muitas pessoas no Brasil não têm condições de simplesmente lavar as mãos com facilidade. Medidas simples de higiene e de prevenção à Covid-19, não podem ser tomadas por quem não tem acesso a água tratada em casa.

O saneamento é um serviço básico, um direito do cidadão. No entanto, para se ter uma ideia, segundo o Ranking do Saneamento 2021, elaborado pelo Instituto Trata Brasil, em parceria com a GO Associados:

  • No Brasil quase 35 milhões de habitantes não tem acesso a serviços de água tratada;
  • Quando o assunto é coleta de esgoto, os dados são ainda piores, aproximadamente 100 milhões de pessoas não tem acesso;
  • Além disso, o Brasil ainda não trata metade dos esgotos que gera (49%), isso quer dizer que todos os dias são jogados na natureza o equivalente a 5,3 mil piscinas olímpicas de esgoto sem tratamento.

 

Esses dados evidenciam o quanto o investimento em saneamento básico deve ser considerado prioritário no Brasil. Esse é um marco de desenvolvimento que o Brasil precisa alcançar.

Leia mais!

Acompanhe e Compartilhe!

Me siga nas redes sociais.

Fique por dentro!

Cadastre-se para receber notícias e novidades do meu mandato.

Faça sua doação

Conheça o #AGENTEqueFAZ, nosso programa de voluntariado para distribuição de cestas básicas .